Hospital da Cidade de Maceió adota campanha ‘Adorno Zero’ para prevenir contaminações

Durante toda esta semana, uma equipe multidisciplinar do Hospital da Cidade de Maceió (HC), está promovendo uma blitz com a campanha Adorno Zero, que busca conscientizar colaboradores, desde a recepção até os centros cirúrgicos, sobre o uso de acessórios como colares, anéis, brincos e relógios. O objetivo é orientar sobre os riscos de contaminação que esses acessórios podem trazer.

Segundo a responsável do Serviço de Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (SCIRAS) do Hospital da Cidade de Maceió, Renata Braga, a iniciativa faz parte da agenda de atividades anual do HC e as blitz do Adorno Zero seguem durante todo o mês de abril.

“Os adornos, mais conhecidos como acessórios apresentam risco de contaminação, uma vez que possibilitam o acúmulo de agentes biológicos e substâncias químicas, que podem ocasionar danos à saúde dos trabalhadores e pacientes, por isso, o uso de adornos deve ser evitado”, alertou Renata Braga, que também é enfermeira infectologista.

São considerados adornos: alianças, anéis, pulseiras, relógios de uso pessoal, colares, brincos, broches, piercings expostos, gravatas e crachás pendurados com cordão. “Vale enfatizar que esses acessórios não são essenciais para o desempenho da função, por isso, discutimos o tema também com pacientes e acompanhantes. Isso é prevenção”, reforçou Renata Braga.

A medida, segue orientação da norma Regulamentadora nº 32 (NR-32), sobre Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde, em especial com relação aos riscos biológicos, do Ministério da Saúde.